Voce esta aqui: Home/ Destaques / Laranjeiras do Sul tem um dos melhores pontos para o atendimento de empreendedores no PR

Laranjeiras do Sul tem um dos melhores pontos para o atendimento de empreendedores no PR

7Sempre à frente das metas estabelecidas, espaço, para empresários de micro e pequenas empresas e empreendedores, foi homenageado em Curitiba; premiação aconteceu durante encontro estadual organizado pelo Sebrae/PR

Há cerca de quatro anos, Edimari Schroeder recebeu um desafio, uma nova missão: de ser responsável pelos atendimentos no Ponto de Atendimento ao Empreendedor de Laranjeiras do Sul. Ao aceitar o trabalho, ela não imaginava que o serviço lhe traria tanta satisfação e, ainda, reconhecimento. “Estava feliz com meu emprego, um cargo administrativo de uma cooperativa do setor de construção civil dentro da ACILS [Associação Comercial e Empresarial de Laranjeiras do Sul]. Mas aceitei o convite ao novo cargo e hoje percebo que foi uma das melhores escolhas que já fiz”, lembra.

No primeiro semestre deste ano, Mari Schroeder, como é mais conhecida, foi homenageada como a melhor agente de Ponto de Atendimento do oeste do Paraná, em encontro regional. Como se não bastasse, no final do mês de novembro, o espaço de orientação ao empreendedor do seu município é que foi premiado, reconhecido como o melhor da região e um dos melhores Pontos de Atendimento do Paraná, durante evento estadual que aconteceu em Curitiba. “Foram grandes ganhos para todos nós, desde os integrantes do Comitê Gestor do Ponto de Atendimento até os empresários. Iniciativas que nos estimulam a melhorar, a nos inspirar nos melhores”, destaca Mari.

 1

Segundo o gerente regional do Sebrae/PR no oeste do Estado, Orestes Hotz, os Pontos de Atendimento são de extrema importância, pois ajudam a levar as soluções da entidade para um número maior de pessoas. “Esses espaços são uma extensão do Sebrae/PR junto às entidades locais que também acreditam que o desenvolvimento se faz por meio do incentivo ao empreendedorismo e melhoria da sustentabilidade dos pequenos negócios. Todos os parceiros do Ponto de Atendimento em Laranjeiras do Sul estão de parabéns pelo reconhecimento e preocupação que têm com os avanços do empresariado local”, assinala Hotz.

De acordo com Mari Schroeder, desde o primeiro ano de atuação do espaço na cidade, as metas têm sido superadas e, em 2015, não foi diferente. “Neste ano, nossa meta de consultorias in company era de 20 horas, mas fizemos um total de 191 horas. Das 600 informações pré-estabelecidas para o ano, já havíamos quantificado 1,1 mil até outubro. Também superamos as metas de orientações feitas pelo Ponto de Atendimento, que eram de 250 e, até outubro, contabilizamos 441. Em relação ao número de empresas atendidas, ultrapassamos as 500 previstas, chegando a quase 1,2 mil”, comemora a agente.

Até novembro, o Paraná contava com 35 Pontos de Atendimento ao Empreendedor espalhados em todas as regiões. No oeste paranaense, eram seis: além de Laranjeiras do Sul, dois estão de Cascavel, um em Assis Chateaubriand, um em Marechal Cândido Rondon e um em Santa Helena. Entretanto, novos espaços serão inaugurados neste mês dezembro, os municípios de Palotina e Quedas do Iguaçu, na região. Os municípios de Loanda, Jaguariaíva, Mandaguari, Campo Mourão e Londrina também serão contemplados. A expansão vai permitir que mais empresários de micro e pequenas empresas sejam orientados e capacitados.

Entusiasmo

Para o consultor do Sebrae/PR, Edson Braga da Silva, todos os Pontos de Atendimento têm metas a serem atingidas e o que faz um ou outro ser destaque é o somatório do envolvimento dos agentes e das entidades integrantes dos comitês gestores com a vontade de crescer dos empreendedores. “O exemplo de Laranjeiras do Sul é resultado do comprometimento de todos os envolvidos, desde o dinamismo e expertise da agente, ao entendimento da ACILS, Prefeitura Municipal, Sicoob, Sicredi e Associação dos Municípios Cantuquiriguaçu, em compor esse ‘time’ de apoio aos empresários”, enfatiza.

Na avaliação do presidente ACILS, Danilo Giacobo, a ação pró-ativa que o Ponto de Atendimento tem feito, de chamar o empresário para se capacitar, também faz a diferença. “Sabemos que as empresas, muitas vezes, têm dificuldade de se manter no mercado e não sabem como fazer para melhorar. Por isso, ao tomar a iniciativa de oferecer um curso, uma consultoria, estamos ajudando a promover o desenvolvimento empresarial e fazer com que o empresário tome gosto por isso. No mundo globalizado, é preciso ser competitivo para conseguir crescer”, constata.

O secretário-executivo da ACILS, Luiz Ederson de Almeida, complementa que o Ponto de Atendimento abre portas ao empresariado local. “O nome Sebrae sempre soou muito forte em Laranjeiras do Sul. Com o Ponto de Atendimento, temos o Sebrae atuando diretamente na cidade, junto a uma gama de outras soluções empresariais que são trazidas pelos demais parceiros do Ponto. O empresário fica mais seguro, pois o espaço vem com essas referências. E, ao optarem pela capacitação, melhoram seus desempenhos empresariais, que reflete em melhoria para todo o empresariado local.”

Satisfação

sitemaryCom o passar do tempo, ressalta Mari Schroeder, a relação dos empresários com o Ponto de Atendimento só melhora. “Cresce a credibilidade e, muitas vezes, a gratidão por ter possibilitado uma melhoria nos negócios e, consequentemente, na vida das pessoas. É isso o que mais me estimula a gerar resultados; não são os números, mas o fato de me sentir útil para aquela empresa que precisa de uma solução, de um treinamento, de uma capacitação para evoluir. Eles criam um vínculo de confiança conosco, com todas as entidades parceiras do Ponto de Atendimento”, avalia.

Inúmeros são os casos de sucesso os quais a agente presenciou, mas alguns ficam na memória. “Incentivei uma metalúrgica a participar do PSGQ [Programa Sebrae de Gestão da Qualidade] e a adesão foi difícil, pois achavam que o custo da capacitação era muito alto. No entanto, consegui convencê-los por conta dos resultados que poderiam alcançar e não deu outra. Hoje, contam que, somente com reaproveitamento de descartes, dava para pagar o curso três vezes, sem contar na economia que tiveram com melhoria de processos e diminuição de desperdício”, relata Mari Schroeder.

“Quando me deparo com essas situações de melhoria que surgem de uma conversa de orientação com as pessoas, quando vejo as empresas melhorando, quando percebo o alívio no rosto do empresário, me sinto satisfeita. Amo o que faço e me sinto bem acompanhando todas as ações do Ponto de Atendimento. O melhor desse trabalho é poder contribuir para a melhoria da minha cidade, por meio das pessoas e das empresas que estão aqui. Já ajudei a formalizar uma empresa na categoria do Microempreendedor Individual e, um ano depois, eles aumentaram o faturamento e passaram a ser Microempresa. É gratificante”, aponta.

Deixe um comentario

Copyright © 2011 E.R.Tecnologia. Todos os Direitos Reservados.